O Que É um “Empreendedor" e Como se Tornar Um Hoje?

O Que É um “Empreendedor" e Como se Tornar Um Hoje?

O que é um empreendedor

Meu pai é um empreendedor.

Em 1990, ele abriu sua própria oficina automotiva.

Ele assumiu um risco, atravessou a turbulência da incerteza e do estresse, manteve um segundo emprego para sustentar sua família e sua empresa, fez sua base de clientes crescer, contratou mecânicos, vendeu serviços (conserto automotivo) e produtos (peças automotivas), e foi o principal responsável por seu próprio sucesso.

No entanto, se você perguntar o que ele faz para ganhar a vida, não ouvirá que ele é um empreendedor. Ele afirmará que "conserta carros".

Pergunte a ele sobre como é ser seu próprio chefe, e ele dirá o seguinte: “Quando você é dono do seu próprio negócio, não é o chefe. Você é um funcionário”.

Mas, em minha opinião, ele certamente é um empreendedor, pelo menos de acordo com o significado obtido através de uma busca rápida no Google:

Empreendedor é aquele que organiza e opera um ou mais negócios, assumindo riscos financeiros extraordinários para fazê-lo.

Assim como meu pai, muitos donos de empresas pequenas não assumem sua identidade como “empreendedores”. Por outro lado, você provavelmente conhece alguém que abraça esse título com orgulho.

Eu soube que algumas pessoas não consideram aqueles que possuem negócios paralelos como sendo “empreendedores reais”. Também já ouvi outros indivíduos falando extensivamente sobre empreendedores como sendo qualquer pessoa que comece qualquer tipo de negócio novo. E não nos esqueçamos das “tendências empreendedoras” que as pessoas podem exibir sem sequer possuir uma empresa, as quais muitas companhias buscam nos candidatos atualmente.

Porém, um freelancer independente é um empreendedor? E um motorista do Uber em tempo integral? Alguém que possua uma barraca em uma peixaria? Onde nós definimos os limites, caso haja mesmo algum limite?

Essa ampla gama de interpretações, junto a todas as novas formas que as pessoas possuem de ganhar dinheiro por conta própria, levanta a questão: o que é exatamente um “empreendedor” hoje?

O Que É Realmente um “Empreendedor”?

Empreendedor Cloud

Segundo dados do Census Bureau, de 1978 a 2012 houve uma diminuição de mais de 44% na criação de novas firmas como fração do total de empresas nos Estados Unidos – lar do Sonho Americano. Essa tendência foi interpretada como declínio do empreendedorismo.

Apesar disso, nosso interesse geral no "empreendedor” permanece vivo e saudável no mundo inteiro, como afirma o Google Trends.

De fato, um relatório do Global Entrepreneurship Monitor de 2015 revelou que 66% dos adultos entrevistados no mundo inteiro percebem o empreendedorismo como boa escolha de carreira – metade das pessoas em idade ativa acredita possuir a capacidade de começar um negócio.

Isso provavelmente se deve à nossa evolutiva interpretação sobre o que seja um empreendedor, gerada a partir das novas formas e variações de “empreendedorismo” (do sidepreneur ao infopreneur) – destacando, acima de tudo, a iniciativa própria que visa à criação de valor, o qual, por sua vez, produz lucro.

Portanto, conversei com mais de 25 “empreendedores” de todos os tipos – de empreendedores solo a criadores de empresas de tecnologia, proprietários de lojas online e autores – para obter uma variedade de perspectivas sobre o significado de ser um empreendedor.

Veja algumas das respostas que recebi:

“Empreendedor é alguém que prefere uma vida de incerteza ilimitada a uma vida de previsibilidade, o qual prefere apostar em si próprio antes de qualquer outra pessoa.”

 Drew Downs, cofundador do Nuvango

“Empreendedor é alguém que opta conscientemente pela liberdade. Essa liberdade não vem fácil, pois ser um empreendedor não é simples, mas mudará sua vida de todas as formas. Muitos de nós passamos anos de nossas vidas construindo o sonho e seguindo as regras de outra pessoa. Como empreendedores, podemos escolher trabalhar naquilo que nos interessa e nos motiva, e isso causa um grande impacto àqueles à nossa volta. Como empreendedores, podemos passar tempo com nossa família sempre que quisermos, bem como sair de férias quando decidirmos e nos cercar das pessoas que tivermos vontade.”

— John Lee Dumas, apresentador do Entrepreneur on Fire

“Empreendedor é aquela pessoa que busca fazer a diferença – seja em um segmento ou no mundo inteiro. Ela está disposta a assumir riscos financeiros, sempre optando pelo crescimento acima do lucro, e é otimista quanto às falhas. Nunca houve uma barreira tão pequena para entrar – você não precisa ser formado em Ciências da Computação para lançar um produto ou serviço na web. Portanto, tornar-se um empreendedor de sucesso hoje em dia consiste quase exclusivamente na execução e na perseverança.“ 

— Yoav Schwartz
, cofundador do Uberflip

“Um empreendedor assume riscos e busca preencher uma necessidade do jeito que for melhor para ele. Em minha opinião, empreendedores não apenas “organizam” um negócio, mas também o alimentam, direcionam e criam. Eu mesmo hesitei por muito tempo me considerar um empreendedor, pois pensava que era preciso possuir um MBA em Harvard. Estava completamente errado. Empreendedores são determinados e inovadores, criativos e rebeldes, estratégicos e incontroláveis. Às vezes, eles produzem maus alunos e funcionários problemáticos.” 

—Terri Trespicio, 
estrategista de branding & conteúdo, escritor e palestrante profissional

“Empreendedor é alguém que consegue servir um público de forma sustentável, pois possui um modelo de negócios lucrativo.” 

—Felix Thea
, proprietário do TrafficAndSales.com

 

Além dos assuntos recorrentes como risco, geração de valor e rebeldia, as respostas que eu obtive variaram de acordo com cada pessoa e empresa.

O significado de empreendedorismo parece haver evoluído, resultado provável de dois aspectos:

  1. Graças à tecnologia, as barreiras de entrada nunca foram menores para começar a empreender.
  2. Há muito mais caminhos para começar um negócio hoje do que jamais houve.

Como a Tecnologia Mudou o Empreendedorismo

Uma pesquisa com os leitores da Inc.com realizada em 2015 revelou que as maiores barreiras que os aspirantes a empreendedores observam são:

  • “Não acho que consigo levantar mais recursos.” (48%)
  • “Não possuo nenhuma ideia.” (40%)
  • “Estou desanimado com a alta taxa de fracasso das empresas.” (22%)
  • “Não possuo as habilidades necessárias.” (21%)
  • “Fico preocupado com o equilíbrio entre trabalho e família.” (18%)
  • “Estou preocupado com impostos e regulamentos.” (17%)
  • “As barreiras competitivas são muito grandes.” (13%)
  • “Não acho que consigo contratar pessoas com as habilidades de que preciso.” (7%)

Porém, muitos desses motivos são aquilo que eu chamaria de “receios herdados” em torno do empreendedorismo – desconfianças ultrapassadas que envolvem o desconhecimento da tecnologia e das plataformas que nos permitem iniciar e executar planos de maneiras que antes eram impossíveis.

Uma Linha do Tempo da Tecnologia Possibilitando o Empreendedorismo

Nos últimos 20 anos, acompanhamos o surgimento de programas, ferramentas e plataformas que lidaram com os medos e pontos fracos associados ao lançamento e à administração de novos negócios. Sem falar nas oportunidades possibilitadas pelas redes sociais e motores de busca.

Timeline

[Expandir]

Como a tecnologia capacitou os empreendedores:

  • Quickbookstornou a contabilidade mais acessível às pequenas empresas.
  • Alibabafacilitou a busca de fornecedores para produtos que você pode vender.
  • Shopify facilitou o lançamento e administração de empresas que comercializam qualquer tipo de produto online, sem que seja necessário conhecimento de programação.
  • Dropboxpermitiu o compartilhamento de arquivos, para uma colaboração melhor e mais segura.
  • Kickstarterpopularizou o conceito de se financiar ideias coletivamente, reduzindo a barreira financeira para a sua execução.
  • Bufferagilizou a forma como você programa conteúdo nas redes sociais em múltiplos perfis.
  • Fiverrofereceu um mercado de talentos e recursos humanos a baixo custo.
  • Zapierpermitiu a integração de tecnologias para automatizar fluxos de trabalho sem a necessidade de desenvolvedores.
  • Canvapermitiu que qualquer pessoa criasse os elementos visuais necessários para uma grande variedade de situações.
  • Kitcriou um “funcionário virtual” para cuidar de parte das dificuldades de se gerenciar um negócio.

Essas empresas — esses empreendedores que capacitam o empreendedorismo, dos quais destaquei apenas alguns – criaram um mundo onde uma empresa não precisa mais estar ligada a um edifício em particular, onde muitas delas são iniciadas e administradas a partir de casa, em um laptop ou dentro de uma cafeteria, e ainda através do celular, mantendo-se “funcionários” pelo mundo inteiro.

Como as Pessoas Viram Empreendedores Hoje

Considerando que o “empreendedorismo de meio período” é mais comum atualmente, não é mais preciso que você deixe seu emprego para começar a montar algo em paralelo.

Muitos empresários do Shopify administram seus negócios em tempo parcial, durante a noite ou nos finais de semana, eventualmente atingindo o período integral, caso optem por isso. Alguns possuem locais físicos para suas lojas, enquanto outros operam de modo totalmente online. 

Agora, as empresas podem existir em uma variedade de formas que simplesmente não eram possíveis antes. Portanto, naturalmente, as pessoas as estão criando por inúmeros motivos.  

Crie uma empresa de venda de produtos e geração de valor.

Muitos empreendedores identificam uma oportunidade e capitalizam em cima dela. Se houver demanda, eles se transformam naqueles que possuirão a oferta. Gostar do produto também ajuda, mas de forma alguma isso é um pré-requisito.

Você deve simplesmente gostar de negócios, de concorrência e da criação de sistemas capazes de gerar valor, seja por meio de um negócio em paralelo ou algo que substitua seu emprego integral.

Exemplo: Syght Glasses

Crie uma empresa de informação e empoderamento.

“Infopreneur” é geralmente um professor que vende informações através de cursos, templates e outros recursos normalmente voltados à educação e empoderamento do seu público.

Exemplo: Copyblogger 

Construa um público e então crie uma empresa em torno dele.

Antigamente, a única forma para um artista sobreviver era fazer com que sua obra fosse financiada por um patrocinador endinheirado.

Hoje, autores – escritores, vloggers e músicos – constroem públicos através de seu talento e inteligentemente criam empresas em torno desses públicos, a partir de mercadorias, vendas de livros, etc. O “patrocinador” deles agora é seu público.

Geralmente não os vemos dessa forma, mas os livros são produtos físicos, e os downloads de músicas podem ser um produto digital. Se você comercializa algum desses, está administrando um negócio.

Exemplo: Wait But Why

Crie uma empresa de artesanato.

O artesão faz uso de uma arte específica aprimorada por ele para criar produtos físicos. Tradicionalmente um hobby ou passatempo, ele aprendeu a descobrir públicos de nicho interessados em adquirir seus produtos – sejam eles colares, móveis artesanais ou velas perfumadas.

Essa atividade sempre começa como hobby, antes de você encontrar seus primeiros clientes e decidir se tornar empreendedor.

Exemplo: JM&Sons

Crie uma empresa de prestação de serviços.

Esse grupo inclui agências, consultores, freelancers e pessoas com habilidades ou expertise procurada por terceiros. Eles podem começar por conta própria e ganhar dinheiro somente quando trabalham, mas são capazes de evoluir e se desenvolver, caso queiram.

Exemplo: Shopify Partners

Crie uma empresa que ofereça uma forma melhor de fazer as coisas.

Sempre há espaço para melhorias. Sempre existem necessidades e pontos fracos que ainda precisam ser resolvidos.

Essa é a história por trás de muitos fundadores de empresas de tecnologia que tentam efetivar sua visão a respeito de formas melhores de realizar coisas.

Sua empresa também pode ser criada para oferecer um produto ou serviço que você deseje e que simplesmente não exista. Ainda não.

Exemplo: Uber 

Crie uma empresa de responsabilidade social.

Alguns empreendedores utilizam empresas como forma de criar uma vida sustentável capaz de melhorar a qualidade de vida das pessoas através de uma iniciativa social. Para além de lucros, o valor que eles buscam gerar está voltado aos mais necessitados.

Exemplo: LSTN

Essas são apenas algumas das motivações intrínsecas que levam as pessoas pelo caminho do empreendedorismo. Pode ser até mesmo uma combinação de motivos que inspire você a começar um negócio.

As razões podem ser únicas para cada pessoa, mas há duas qualidades que todos os empreendedores compartilham.

Dois Aspectos Comuns a Todo Empreendedor

O termo "empreendedor" é originário da palavra francesa entreprendre: realizar algo. E, apesar das mudanças do empreendedorismo durante os anos, essa parte se mantém praticamente inalterada.

Independentemente da forma como você ou qualquer outra pessoa defina o significado de ser um empreendedor, é evidente que ninguém pode se tornar um empreendedor se for preciso aguardar por essa validação.

O motivo disso é que existem pelo menos dois aspectos que certamente todos os empreendedores possuem em comum:

  1. Eles são ambiciosos.
  2. Eles começam.

Tópicos:

Deixe um comentário ...

Comece já o seu teste grátis de 14 dias.