Relatórios e análises da Shopify: um guia para iniciantes

Relatórios e análises da Shopify: um guia para iniciantes

Shopify analyticsQuais sites estão levando tráfego para a sua loja? De onde vêm os acessos à sua loja? Qual foi o desempenho da sua campanha de marketing para o Black Friday Cyber Monday do ano passado? Quais os produtos mais procurados pelas pessoas?

Você está imerso em perguntas sobre o seu negócio, seus clientes e suas estratégias de marketing. Ainda bem que as respostas para muitas dessas dúvidas estão nos relatórios e análises da Shopify.

Template Icon

Você precisa de ajuda com a sua loja?

Veja uma lista com 5 parceiros brasileiros da Shopify que prestam serviços a lojistas da Shopify no Brasil. Encontre alguém para lhe ajudar a criar a sua loja virtual, personalizar o seu tema, SEO, marketing, pagamentos, checkout, design e muito mais!

Baixar a lista grátis

Relatório x Análise

Imagine você abrindo sua ferramenta de análise ao final de um dia de trabalho (ou no final da semana ou mês) para tomar nota de algumas métricas importantes. Nesse processo, você percebe que o tráfego na sua loja cresce em torno de 2% com o passar das semanas. Que maravilha!

Relatar dados, como mostra o exemplo acima, é uma atividade bem objetiva: tudo o que aumenta é bom, tudo o que diminui é ruim.

Entretanto, procure pensar nos dados e nas análises como se fossem um iceberg. É claro que existem métricas positivas acima do nível da água, mas há muito mais informações logo abaixo da superfície.

A análise é o processo de ir além da superfície e descobrir informações significativas sobre o seu negócio. Em vez de garimpar apenas o conteúdo dos relatórios, você se propõe a explorar os motivos e significados por trás desses dados.

Analisar é muito mais complexo do que afirmar que “tudo o que aumenta é bom, tudo o que diminui é ruim”. E essa dose extra de complexidade pode ser exaustiva, seja usando o Google Analytics ou a ferramenta de análise da Shopify.

Mesmo assim, é preciso perseverar nessa missão, porque você encontrará abaixo da superfície:

  • respostas a perguntas importantes acerca do seu negócio (além de novos questionamentos);
  • problemas que você não sabia que estavam lhe custando dinheiro;
  • soluções e correções rápidas para melhorar a sua experiência do usuário (UX) e a sua taxa de conversão.

NOVIDADE: Veja os visitantes da sua loja virarem clientes em tempo real com o Live View. Agora você pode comemorar as suas vendas à medida que elas acontecem de verdade. Saiba mais aqui.

As perguntas certas para os seus dados

Todo mundo quer descobrir as informações que estão nas entrelinhas dos dados. A pergunta que não quer calar é: como ir além do conteúdo evidente? Simples: experimente fazer perguntas relevadoras sobre a sua loja.

Para começar, você vai se deparar com uma avalanche de dados ao abrir a sua ferramenta de análise. Interpretar esse volume de informações se torna muito cansativo em pouco tempo. Para ser prático, tenha em mãos uma lista com as perguntas que você precisa responder.

Overview dashboard

Assim, você não ficará rodando em círculos, esperando ter aquela sacada genial (embora a ideia soe ótima, não é isso o que acontece na vida real). Em outras palavras, você precisa ter um objetivo.

E o que é uma pergunta boa? Boa pergunta!

Quando você acha que tem uma boa pergunta a fazer, responda: “O que eu vou conseguir mudar com a resposta a essa pergunta?”. Se nada mudar com a resposta obtida, saiba que essa não é uma boa pergunta.

Minha sugestão é: tente elaborar um cenário hipotético de causa e consequência para cada pergunta. Se a resposta for “sim”, é isso; se a resposta for “não”, é aquilo.

Você também pode seguir o passo a passo abaixo para elaborar perguntas relevadoras sobre os seus dados:

  1. Inspecione o seu site em busca de algum problema. É hora de revelar “os podres” da sua loja, buscando algo que não está funcionando dentro do esperado.
  2. Tome nota dos problemas, pontos preocupantes, perguntas, entre outros elementos discutíveis que conseguir identificar nessa inspeção.
  3. Consulte suas análises para confirmar os problemas e pontos preocupantes. Aproveite para responder às perguntas que surgiram.

É válido ter uma inspeção estruturada passo a passo para dar conta da Etapa 1. Por exemplo, defina alguns fatores importantes com antecedência para dispensar opiniões subjetivas e ideias preconcebidas:

  • Desgaste: há alguma dificuldade? Como tornar esse aspecto mais fácil? Há alguma coisa impedindo seus visitantes de comprar?
  • Distração: há alguma coisa distraindo seus visitantes a tomar a ação mais desejada, independentemente do que ela seja? Por exemplo, adicionar um produto ao carrinho ou fazer o checkout.
  • Motivação: o que está deixando os visitantes mais ou menos motivados? Eles estão motivados o suficiente para realizar a ação que você mais almeja?
  • Relevância: tudo o que está na página é relevante? Há algum elemento irrelevante ou sem importância? Todos os elementos da página estão ali para promover a ação mais desejada?
  • Clareza: o valor do produto ou serviço está explícito? A próxima etapa do processo está clara? E a ação mais desejada? Não tem nada confuso na página?

Depois dessa inspeção, você com certeza terá em mãos uma lista extensa de perguntas relevadoras sobre os seus dados.

Porém, fique atento a um detalhe. Ronald H. Coase tem um ditado famoso em estatística que diz: “Se você torturar os dados por tempo suficiente, eles vão te confessar qualquer coisa”. Em outras palavras, se você procura uma resposta específica, você a encontrará. Eliminar as tendências cognitivas durante a análise é muito difícil, mas procure se concentrar nas suas perguntas, não em respostas presumidas.

O conceito de bom

O que é um tráfego mensal bom? O que é uma taxa de conversão boa? O que é um bom valor médio de pedido? Bom isso, bom aquilo... O que é “bom”?

Não há uma resposta certa para essas perguntas. É claro que existem referências e valores médios do setor aos quais você pode recorrer, mas eles costumam ser mais interessantes do que úteis.

Por exemplo, o que você vai mudar no seu negócio ao saber que uma loja média no seu setor tem 100.000 acessos por mês?

Com menos de 100.000 acessos por mês, talvez você tenha que aumentar o seu tráfego mensal. Mas nós não estamos eternamente nessa missão? E se você tem mais de 100.000 acessos no mês, vai deixar para lá o aumento de tráfego?

Uma boa quantidade de tráfego mensal é mais tráfego do que você tinha no mês passado. A mesma lógica cabe para qualquer outra métrica que você queira acompanhar.

A questão aqui é saber o que é bom para você e para a sua loja.

Comece onde há valor

Se você não sabe por onde começar porque não tem tempo para inspecionar toda a sua loja, comece por onde estão as maiores oportunidades. Isso se resume a três categorias:

  1. Páginas de alto volume e baixo valor. São páginas que têm muito tráfego, mas não geram muita receita. Exemplo: um artigo de blog antigo.
  2. Páginas de baixo volume e alto valor. São as páginas que têm menos tráfego, mas é um tráfego de maior qualidade, mais propenso à conversão. Exemplo: sua página de checkout.
  3. Seu funil. Divida o seu funil de compra em etapas fixas. Exemplo: a página inicial é a primeira etapa, a página da coleção é a segunda, a página do produto é a terceira, o carrinho é a quarta etapa e o checkout é a quinta e última etapa. Mas não leve essa sequência a ferro e fogo, afinal, a linearidade dos funis está com os dias contados. Dito isso, comece a pensar em múltiplas rotas que os seus visitantes podem seguir para efetuar uma compra.

Os funis são particularmente interessantes. É possível identificar exatamente onde está o “vazamento” quando coletamos dados para cada etapa do funil. O “vazamento” é justamente o momento em que as pessoas deixam a sua loja com mais frequência. Por exemplo:

  • 100 pessoas chegam à página da coleção.
  • 50 pessoas chegam a uma página de produto.
  • 40 pessoas adicionam um produto ao carrinho.

A partir desse exemplo simplista de funil, fica evidente que o maior vazamento está na sua página de coleção, porque você perde 50% dos visitantes só nessa etapa. Eis um bom ponto de partida para elaborar as suas perguntas, que serão usadas para analisar os seus dados mais adiante.

Observe que, quanto mais afunilarmos a análise, menor será o esforço necessário para fazer a diferença. Por exemplo:

  • 100 pessoas chegam à página da coleção.
  • 50 pessoas chegam a uma página de produto.
  • 40 pessoas adicionam um produto ao carrinho.
  • 20 pessoas clicam para efetuar o checkout.
  • 4 pessoas fazem o checkout.

Considerando o exemplo acima, imagine aumentar quatro checkouts concluídos para seis. Isso equivale a um aumento de 50% muito próximo ao seu lucro líquido. Agora considere um aumento de 50 para 52 pessoas chegando a uma página de produto. O impacto dessa mudança será muito menor na sua receita porque essa etapa está mais para cima do funil. É por isso que aprimorar o final do funil pode ser tão vantajoso.

As três categorias básicas dos Relatórios da Shopify

A Shopify disponibiliza tanto painéis de análise quanto relatórios de análise completos:

Shopify navigation

Relatórios diferentes são disponibilizados dependendo do seu plano conosco. Todo mundo tem acesso ao “Overview dashboard” (Painel Visão geral) e aos Finances reports” (Relatórios financeiros). Se o seu plano é o Basic Shopify ou superior, você também tem acesso a outras três categorias de relatório: aquisição, comportamento e marketing.

1. Relatórios de aquisição

Os relatórios de aquisição abordam os visitantes que acessaram o seu site. Detalhes importantes a considerar:

  • O número de sessões e o número de visitantes se baseiam nas informações coletadas por dois cookies: um que identifica o dispositivo (visitante) e outro que identifica a duração da visita (sessão). Dessa forma, um visitante pode gerar várias sessões.
  • Uma sessão é finalizada automaticamente após 30 minutos sem nenhuma atividade ou à meia-noite do horário UTC.

Sessões ao longo do tempo

Encontre este relatório em “Acquisition” (Aquisição), no painel “Reports” (Relatórios):

Acquisition reports

O relatório Sessões ao longo do tempo apresenta o número de visitantes e sessões durante um determinado período de tempo:

Visits over time

A visualização em gráfico de barras da tabela de dados facilita a interpretação.

Clique nos cabeçalhos das colunas da tabela para classificar os dados em ordem crescente ou decrescente. Assim, você pode, por exemplo, visualizar os dias com mais sessões no início da tabela ou simplesmente organizar os dias em ordem cronológica.

Aproveite para selecionar períodos de tempo diferentes:

Date range

Experimente comparar os últimos 30 dias com os 30 dias anteriores. Que tal comparar os dados do terceiro trimestre deste ano com os do ano passado? Quanto mais você destrinchar os seus dados, mais informações você descobrirá.

Não se esqueça de priorizar as tendências. Os dados oscilam. Muitas vezes, os dados da semana passada não são tão importantes quanto entender como essa semana pode ser comparada com as oito semanas anteriores. Não se atenha a pequenas oscilações, busque as tendências que estão em desenvolvimento.

Sessões por referenciador

Encontre este relatório em “Acquisition” (Aquisição), no painel “Reports” (Relatórios):

O relatório Sessões por referenciador apresenta o número de visitantes e sessões geradas por uma fonte:

Visitors by referrer

Neste caso, as pesquisas feitas no Google são o referenciador mais popular. O Google encaminhou 574 visitantes para esta loja, que geraram 604 sessões.

Observe que o referenciador é dividido por nome de referência. Brinque com a classificação dos títulos das colunas para obter um panorama parecido com este:

Visitors by referrer sorted

Agora ficou mais fácil de ver que o Facebook é o principal referenciador entre as redes sociais.

Esse relatório acrescenta mais uma informação ao relatório Sessões ao longo do tempo. Além de ver quem acessa o seu site e com qual frequência, você agora sabe a origem desses acessos.

Esse é um dado fundamental para decidir onde investir seu dinheiro e tempo dedicado ao marketing. Afinal de contas, você é um empreendedor atarefado e não consegue dar conta de todos os elementos do seu negócio ao mesmo tempo. Preste atenção ao que está valendo a pena e dobre seus esforços nesse sentido. Melhor ainda, experimente um novo referenciador e observe o quão eficiente ele é em encaminhar tráfego para o seu site durante esse período de teste.

Além disso, é importante entender a diferença entre visitantes e sessões. Se o número de visitantes de um referenciador é alto e o número de sessões geradas a partir do mesmo referenciador é igual, isso não é necessariamente ruim, mas pode ser um indício de baixa qualidade de tráfego ou engajamento.

Sessões por local

Encontre este relatório em “Acquisition” (Aquisição), no painel “Reports” (Relatórios):

O relatório Sessões por local apresenta o número de visitantes e sessões de vários países:

Visitors by location

Além de ser interessante saber a nacionalidade das pessoas que estão acessando a sua loja, as informações geográficas também são extremamente úteis.

Por exemplo, imagine que você está gerenciando anúncios no Facebook para a sua página de produto mais popular. Agora você sabe exatamente como segmentar os seus anúncios por local:

Targeted Facebook ads

Você também pode dividir as campanhas de anúncios por país para ver qual lugar rende a maioria de tráfego para a sua loja. Experimente investir em anúncios para um país que parece ser um mercado promissor, como as Filipinas, que contou com apenas cinco visitantes, mas gerou 11 sessões.

As informações geográficas também são importantes para determinar outros elementos, como ortografia e gramática, referências culturais e imagens (tons de pele, perfis, etc.). Explore mais esses dados e deixe que eles indiquem as melhores formas de envio e preços para o seu negócio.

2. Relatórios de comportamento

Os relatórios de comportamento abordam as ações dos seus visitantes. Detalhes importantes a considerar:

  • relatório Análise de carrinho do site também é contemplado nesta categoria, mas está disponível apenas para o plano Shopify ou superior.
  • Metade desses relatórios exige que você use um tema com barra de pesquisa. Caso contrário, dois dos quatro relatórios a seguir não terão dados para exibir.

Principais pesquisas na loja virtual

Encontre este relatório em “Behavior" (Comportamento), no painel “Reports” (Relatórios):

Behavior reports

O relatório Principais pesquisas na loja virtual apresenta os termos de pesquisa usados pelos seus visitantes para encontrar o que procuram em seu site:

Top online store searches

A opção “Original Query” (Consulta original) mostra a palavra-chave exata que foi pesquisada na sua loja. Já “Total searches” (Total de buscas) mostra quantas vezes essa palavra-chave específica foi pesquisada.

Esse relatório dá margem a diferentes interpretações:

  • Voz do cliente: é como os seus clientes pensam e descrevem os produtos que você vende. Assim, incorpore as consultas nos títulos dos seus produtos, descrições, propostas de valor, nomes de coleção, etc.
  • Popularidade do produto: na teoria, a frequência de uma pesquisa estará correlacionada de alguma forma com a popularidade do produto. Analise esse relatório considerando um período maior de tempo para identificar os produtos que podem estar ganhando/perdendo popularidade.
  • Confusão na experiência do usuário: se um visitante está à procura de algo, isso pode ser um indício de que ele está com dificuldade de encontrar o que precisa por conta própria (embora, verdade seja dita, alguns visitantes apenas preferem usar uma barra de pesquisa). Avalie se a sua navegação é óbvia e fácil de usar. Por exemplo, você pode observar um aumento no volume de buscas se a sua quantidade de produto cresceu rapidamente sem uma reformulação da experiência do usuário com a navegação.

Principais pesquisas na loja virtual sem resultados

Encontre este relatório em “Behavior” (Comportamento), no painel “Reports” (Relatórios).

O relatório Principais pesquisas na loja virtual sem resultados apresenta os termos mais populares que não trazem nenhum resultado:

Top online store searches with no results

Observe que o filtro “Returned results is No” (Nenhum resultado) foi ativado. Esse é um ótimo exemplo de segmentação de relatório, porque a única diferença entre este relatório e o anterior é justamente o uso desse filtro. Em outras palavras, você descobriu um leque de possibilidades de interpretação com um simples detalhe.

Quando os visitantes estão à procura de algo, podemos inferir que há algum nível de intenção de compra. Quando uma busca resulta em nenhum resultado, a frustração por parte do visitante é incontrolável. Dito isso, descubra como usar esse relatório para diminuir as chances de decepção dos seus visitantes:

  • Demanda de produto: as pessoas estão pesquisando palavras-chave que não são relevantes para os seus produtos ou loja. Por quê? Talvez você esteja trabalhando com uma segmentação equivocada de palavras-chave e dados demográficos. Se as pessoas estão pesquisando palavras-chave relevantes, mas estas não têm nada a ver com os seus produtos, considere criar uma oferta para suprir essa demanda.
  • Rotulagem de produto: conforme sugerido acima, incorpore essas consultas nos títulos dos seus produtos relevantes, descrições, entre outros, para que haja resultados para as palavras-chave mais populares.
  • Hierarquia de produto: se você tem um produto relevante para atender à consulta popular, mas não há resultados para ela, eleve o produto na hierarquia visual. Ele provavelmente está escondido, algum elemento está chamando mais atenção que ele ou os visitantes não estão reparando nele como deviam. Coloque esse produto em destaque!

Sessões por página de destino

Encontre este relatório em “Behavior” (Comportamento), no painel “Reports” (Relatórios).

O relatório Sessões por página de destino apresenta as páginas pelas quais os visitantes chegam à sua loja:

Visitors by landing page

No exemplo acima, o blog é que está trazendo a maioria de tráfego, seguido pelas páginas de produto e pela página inicial. Com base nesses dados, você pode decidir reforçar suas ações no blog, pois ele está trabalhando para angariar acessos ao seu site. Você também pode mudar essa estratégia ao reparar que os seus anúncios no Pinterest relacionados às suas páginas de produto também estão se saindo bem nessa missão.

Por outro lado, esse relatório também ajuda a identificar problemas.

Compare o desempenho atual (os últimos sete a 30 dias) com um desempenho de longo prazo. A nova página de destino está a todo vapor? Alguma página de destino anterior lhe passou desapercebida?

Esse comparativo ajuda a decidir onde investir seu tempo e esforço na otimização de páginas de destino. Se uma página de destino teve um bom desempenho no passado, mas não faz mais sucesso hoje, ela provavelmente está desgastada. Por outro lado, se uma página de destino tinha um desempenho razoável e está se saindo bem hoje, dê prioridade a ela no processo de análise.

Essa regra é particularmente útil se você está testando páginas de destino específicas, como para o Black Friday e o Cyber Monday. Filtre as informações no cabeçalho da coluna “Landing page type” (Tipo de página de destino) e veja qual página de destino do BFCM tem o melhor desempenho (ex.: variação A vs. variação B ou roupas masculinas vs. roupas femininas).

Sessões por dispositivo

Encontre este relatório em “Behavior” (Comportamento), no painel “Reports” (Relatórios).

O relatório Sessões por dispositivo apresenta os tipos de dispositivos que são usados para acessar a sua loja:

Visitors by device

Por que essa informação é importante? À primeira vista, esse relatório pode parecer uma coleção de dados interessantes, porém inúteis. Muito pelo contrário, esse é um relatório com alto potencial, que rende boas reflexões:

  • Segmentação de anúncios: a maioria das plataformas de publicidade perguntará se você deseja criar anúncios para desktops, dispositivos móveis ou ambos. Este relatório vai ajudar você a decidir o que fazer nesse caso. Considerando as informações acima, os anúncios para dispositivos móveis e desktops estão em uma disputa acirrada, logo, ambos parecem ser uma boa escolha para esse negócio.
  • Diferentes experiências do usuário (UX): uma UX boa em dispositivos móveis é bem diferente de uma UX satisfatória em desktops. Esse é um detalhe ignorado por muitas pessoas. O design responsivo é um passo dado na direção certa, mas não é suficiente. Vários elementos precisam ser pensados para os dispositivos móveis, como tamanho do botão, estilo do teclado, recursos (arrastar, tocar), entre outros. A navegação que é intuitiva no desktop pode ser irritante para quem usa o celular. Assim, esse relatório vai ajudar você a identificar possíveis problemas com a experiência do usuário no desktop ou em dispositivos móveis.
  • Teste separado: como desktop e dispositivos móveis são tão diferentes, é importante testá-los separadamente. E ter um relatório dividido por tipo de dispositivo facilitará essa experimentação.

3. Relatórios de marketing

Os relatórios de marketing abordam a eficácia das suas campanhas de marketing. Detalhes importantes a considerar:

  • Existem outros quatro relatórios dentro dessa categoria, mas eles só estão disponíveis para o plano Shopify ou superior.
  • Os relatórios de marketing resumem informações de todos os pedidos do canal Loja virtual.

Sessões por campanha de marketing

Encontre este relatório em “Marketing”, no painel “Reports” (Relatórios):

Marketing reports

O relatório Sessões por campanha de marketing apresenta o número de visitantes gerados por uma campanha de marketing com parâmetros UTM:

Visitors by marketing campaign

Se você não sabe o que são campanhas UTM, não deixe de ler este artigo para começar a se familiarizar com o assunto. Confira a seguir os fundamentos básicos sobre o UTM:

  • Os parâmetros UTM são pequenos pedaços de informações que podem ser adicionados a links para que você tenha uma visão mais holística das suas estratégias de marketing.
  • Os três parâmetros mais recorrentes são:
    • Origem (utm_source): em geral, é usado para definir o site em que o link é implementado. Exemplo: utm_source=shopify ou utm_source=newsletter.
    • Mídia (utm_medium): costuma ser usado para definir a operação de marketing. Exemplo: utm_medium=paid.
    • Campanha (utm_campaign): determina a campanha específica que você está lançando. Exemplo: utm_campaign=bfcm ou utm_campaign=summer17.

No final, seu link de campanha UTM será parecido com isto:

www.yoursite.com?utm_source=shopify&utm_medium=paid&utm_campaign=bfcm

Podemos extrair as informações sobre os parâmetros UTM ao abrir o relatório Sessões por campanha de marketing. Assim, você terá uma visão geral do desempenho das suas estratégias de marketing, desde a sua newsletter até as suas campanhas pagas.

Observação: os parâmetros UTM são automaticamente implementados por aplicativos de marketing integrado.

Colunas e filtros

Como você pode ver, há muitos dados úteis nas análises da Shopify. É provável que a sua lista de problemas a resolver e áreas a explorar durante a inspeção do site já esteja bem extensa.

Mas tudo o que falamos aqui foi a introdução. Ainda há uma tonelada de informações e interpretações escondidas nas entrelinhas de tudo o que já sabemos.

Como podemos nos aprofundar nesses dados? Por meio da segmentação.

Embora soe assustadora, a segmentação tem objetivos práticos e diretos. Como assim? Vou dar um exemplo para você entender melhor. Você já brincou de separar um pacote de M&M’s por cor?  Pois bem, isso é segmentação.

Os filtros e as colunas são duas opções de segmentação disponíveis nas análises da Shopify.

Os filtros isolam uma parte específica dos dados do relatório (apenas os M&M’s vermelhos, por exemplo). Eles têm três componentes principais:

  1. Nome: identifica o filtro e corresponde a uma coluna. Exemplo: “Device type” (Tipo de dispositivo) ou “City” (Cidade).
  2. Operador: é onde você seleciona “é” (no sentido de “igual a”) ou “não é”.
  3. Valores: identifica as palavras ou números específicos que você quer filtrar. Exemplo: “dispositivo móvel” ou “São Paulo”.

No canto superior esquerdo das suas tabelas de dados há um botão “Manage filters” (Gerenciar filtros). Clique nele para abrir uma janela pop-up:

Manage filters

Você pode adicionar e remover uma série de filtros de categorias, como dispositivo, página de destino, localização, campanha de marketing, referenciador, resultados, etc.

Alguns relatórios oferecem opções exclusivas de filtro, como os relatórios de barra de pesquisa:

Search filters

Você também pode acrescentar vários filtros à sua análise. Quanto mais detalhar os dados usando filtros, mais chances você terá de encontrar aquelas informações escondidas nas entrelinhas.

As colunas exibem mais dados do que o mostrado no modo padrão. Para usá-las, basta adicionar ou remover os cabeçalhos de coluna que estamos usando para classificar as tabelas de dados.

Clique no botão “Edit columns” (Editar colunas) para abrir um menu suspenso, que lista todas as colunas disponíveis:

Edit columns

Você pode adicionar e remover uma série de colunas de categorias, como dispositivo, página de destino, localização, campanha de marketing, referenciador, tempo, acessos, etc.

Alguns relatórios também oferecem opções exclusivas de coluna, como os relatórios de barra de pesquisa:

Search columns

Vamos ver como tudo isso funciona na prática?

Você lembra do relatório Sessões por local? Podemos usar filtros e colunas para segmentar os dados e esmiuçar as informações:

American cities report

Aqui temos as cidades nos Estados Unidos (filtro) que geraram os visitantes, as adições ao carrinho (coluna) e os checkouts (coluna).

Dica: sempre avalie o desempenho com base na etapa mais próxima do dinheiro do seu cliente. Por exemplo, o checkout é um indicador de sucesso mais forte que os visitantes.

Você lembra do relatório Sessões por página de destino? Ele é perfeito para mostrar porque a base das métricas do funil (como os checkouts) são mais informativas que as métricas do início do funil (como os visitantes):

Segmented visitors by landing page report

Bastou adicionar uma coluna “Checkouts” que o quadro mudou drasticamente de figura. Considerando apenas as sessões, dá para concluir que o melhor a se fazer é escrever mais artigos para o blog, já que esse elemento gerou mais visitantes.

Agora sabemos que os artigos do blog geram acessos de visitantes, mas não geram muitas vendas. Então, como podemos melhorar a taxa de conversão do blog? Vamos adicionar essa pergunta a nossa lista.

Ter mais visitantes é ótimo, mas o objetivo aqui é lucrar mais. O tráfego de baixa qualidade que não se converte em vendas é um desperdício de tempo e dinheiro em estratégias de marketing.

Vamos destrinchar mais um exemplo. Você lembra do relatório Sessões por dispositivo? Olha como ele fica com alguns filtros e colunas novas:

Segmented visitors by device report

Adicionei dois filtros: um para isolar as informações sobre dispositivos móveis e outro para isolar os acessos por iOS. Em outras palavras, a tabela acima está exibindo somente as informações sobre usuários de dispositivos móveis com sistema operacional iOS.

Também adicionei três novas colunas: uma para nos informar a versão do iOS, uma para nos dizer a duração média da sessão e outra para nos detalhar o número de checkouts.

Este relatório é útil por três motivos:

  1. É impressionante ver quantas pessoas usam versões antigas do sistema operacional e de navegadores (refaça este relatório para analisar os navegadores), e a gente nem costuma dar tanta atenção para esse detalhe. Você sabe dizer se a aparência do seu tema personalizado é boa e funciona bem em um sistema operacional móvel de 2013? Faço essa pergunta porque 143 acessos vieram de aparelhos rodando o iOS 7.1.
  2. Se uma versão do sistema operacional do dispositivo tem um tempo médio de sessão ou contagem de checkout muito baixa, isso pode ser um indício de que há problemas com a experiência do usuário nessa versão. Entretanto, certifique-se de que a comparação seja feita sempre dentro da mesma família. Por exemplo, eu isolei apenas o iOS de propósito. Eu jamais compararia iOS com Android, somente iOS com iOS e Android com Android.
  3. Verificar o funcionamento da sua loja em diversas versões de dispositivo e navegador demanda muito tempo. Este relatório ajuda você a encontrar as versões mais populares (e mais pertinentes) para a sua loja, para que você saiba exatamente por onde começar.

Você também pode exportar os relatórios em formato CSV:

Export

Este recurso é útil para quem prefere analisar dados no Excel, que é uma ferramenta incrível para analistas mais experientes.

Novas ideias de segmentação vão surgir à medida que você brincar de experimentar filtros e colunas. Não é exagero dizer que, neste caso, as opções são infinitas. E lembre-se: a prática leva à perfeição!

Considerações finais

As respostas para as suas perguntas mais urgentes sem dúvidas vão dar margem a novos questionamentos.

A análise de relatórios é um processo contínuo de fazer perguntas, buscar respostas (tanto nos relatórios quanto no seu site) para fazer perguntas ainda mais elaboradas.

Siga destrinchando os dados, brincando com os filtros e as colunas. Resista à tentação de simplesmente relatar o que está evidente.

Caso tenha alguma dúvida ou sugestão de combinação de filtros/colunas, conte para a gente nos comentários! Adoraríamos saber sua opinião.



Você tem uma ideia de negócios?

Comece o seu teste grátis de 14 dias da Shopify hoje mesmo, sem precisar de cartão de crédito!


 


Which method is right for you?Sobre a autora

Gabriela Jungblut é editora-chefe do blog da Shopify em português, gestora de marketing de conteúdo para o mercado brasileiro, tradutora e intérprete de conferências.

Post original em inglês: Shanelle Mullin

Tradução e localização: Carolina Walliter

Você tem dúvidas sobre a Shopify?

Escreva um e-mail para a nossa equipe de atendimento em português!

atendimento@shopify.com

Tópicos:

Comece já o seu teste grátis de 14 dias.