Blogs da Shopify

Vida de freelancer: marketing para pequenos negócios

small business marketing

Trabalhar como freelancer ou como uma pequena empresa requer um verdadeiro malabarismo de diversas tarefas. Você pode dizer que a sua prioridade é o trabalho de design e desenvolvimento para montar um portfólio de peso, mas também é importante cuidar da contabilidade e da burocracia empresarial, elaborando contratos, identificando o modelo de precificação ideal para o seu negócio, e muito mais. Com tanta coisa para fazer, não duvido que você viva correndo contra o relógio!

Porém, mesmo com tantas tarefas, lembre-se: o marketing do seu negócio não pode ser negligenciado. Talvez você não tenha uma aptidão nata para o marketing, mas saiba que ele é fundamental para quem quer atrair mais clientes melhores. Além disso, se a sua receita vem da criação de apps e da venda de serviços online, certamente tudo o que você elaborar deve ser visto e usado por terceiros.

Vender o seu negócio para o mundo da forma certa fará com que ele cresça a ponto de você precisar terceirizar ou empregar pessoas e, quem sabe, até abrir uma empresa em um espaço físico – será que este é o seu sonho? O mercado é agitado, você compete com firmas grandes, profissionais autônomos e um verdadeiro exército de freelancers. Em outras palavras, dar a devida atenção ao marketing significa se destacar nessa multidão.

Conversamos com consultores, cofundadores, diretores criativos e designers para descobrir como eles encontraram a abordagem certa para o marketing em seus negócios. Confira a seguir dez dicas valiosas para o sucesso da sua carreira como freelancer!

DICA DE LEITURA: A psicologia do medo no empreendedorismo.

1. Orgulhe-se de ter um pequeno negócio

Sua empresa pode ser pequena, com poucos funcionários ou só você, e tudo bem!

“Não tenha vergonha de ter um pequeno negócio. Muitos freelancers tentam esconder que eles trabalham por conta própria, e isso é um erro. As pessoas compram de outras pessoas. O que importa é se elas gostam de você, confiam em você e na sua capacidade de entregar resultados”, afirma o experiente consultor Paul Boag.

Existem vantagens em ter um pequeno negócio.

“É claro que agências maiores têm suas vantagens, mas elas também vêm acompanhadas de desvantagens. Ter uma empresa grande é caro e exige uma burocracia administrativa maior. Muitos clientes querem ter contato direto com a pessoa que está realizando o trabalho que eles contrataram, e é justamente aí que o pequeno empreendedor sai na frente. Logo, não tem motivo para esconder esse fato dos outros”, complementa Paul.

Conte a sua história

Como um pequeno negócio, compartilhar a sua história com clientes em potencial é uma estratégia poderosíssima.

“Desenvolva a sua marca com base em você mesmo. Não, não tenha medo de se mostrar para o mundo. É claro que você não vai agradar a todos o tempo todo, mas isso não é um problema. A internet é imensa e muitas pessoas vão gostar do jeito como você trabalha”, sugere Paul.

O web designer e consultor digital Dave Ellis, autor do livro Go Freelance (disponível somente em inglês)afirma que é fundamental sermos honestos ao contar a nossa história.

“Como você chegou até aqui? Qual é a característica única e exclusiva que você e a sua trajetória têm? Muitos negócios de grande porte foram construídos ao longo dos anos com a força dos relacionamentos e das amizades — e só! Você pode contar a sua história ao falar sobre os seus hobbies e interesses na página “Sobre” do seu site, mas essa iniciativa surte muito mais efeito quando a sua história está presente em tudo o que você faz”.

2. Não enxergue o seu negócio como algo pequeno

Jeremy Watt, cofundador do estúdio de design comercial (que também é um dos Especialistas da Shopify) Up Later Than You, pensa um pouco diferente. Para ele, os pequenos empreendedores ficam presos na mentalidade do “pequeno negócio”.

“Mesmo que você trabalhe sozinho, é importante pensar grande. Sempre que possível, compartilhe a mentalidade de freelancer com todos os pontos de contato da sua empresa. Comece pelo nome do seu negócio, a URL do seu site, seus canais nas redes sociais e até o seu endereço de e-mail — achar que um e-mail gmail.com basta é se contentar com pouco.

“Como freelancer, uma das grandes vantagens que você tem em relação às grandes empresas é o cuidado que você pode ter com os mínimos detalhes do seu trabalho. Ao pensar grande, lembre-se de fazer o cliente sentir que você vai ter ainda mais cuidado com o projeto dele. A comparação metafórica entre o marketing da cidade grande e a comunicação da cidade pequena é uma ótima maneira de encontrar o equilíbrio entre essas duas mentalidades.

DICA DE LEITURA: Motivos para usar o Instagram Stories na sua estratégia de marketing.

3. Cultive uma presença ativa e automatizada nas redes sociais

Tracy Osborn, designer, desenvolvedora e autora do livro Hello Web Books (disponível somente em inglês) é uma empreendedora solo, dona de seu próprio negócio. No início de sua carreira, ela teve dificuldade em administrar seu blog e manter uma presença ativa nas redes sociais.

“No início, eu trabalhava em parceria com outros negócios para fornecer conteúdo para o meu blog. Logo, eu não tinha que escrever nada do zero. Além disso, os autores convidados costumavam impulsionar seus artigos, gerando links e tráfego para a minha página”, explica.

Tracy também automatizou suas redes sociais, ou seja, sempre que um artigo é publicado no blog, ele é automaticamente divulgado em todas as mídias sociais que ela frequenta.

“Eu trabalho com títulos personalizados, que posso configurar no WordPress. Em seguida, eu agendo outros posts de follow-up usando o Buffer. Organizar um sistema e automatizá-lo ao máximo me ajudou a crescer e a manter o meu blog ao mesmo tempo em que eu lidava com as outras tarefas (design, programação, vendas) da minha startup.

small business marketing: buffer
Programe publicações automáticas em várias redes sociais usando um sistema como o Buffer.

4. Evite polêmicas nas suas redes sociais

O diretor criativo freelancer Shane Mielke, autor do livro Launch It (disponível somente em inglês), afirma que a sua personalidade e a forma como as pessoas enxergam você podem influenciar a contratação dos seus serviços por uma empresa ou indivíduo. Isso impacta diretamente na sua renda e nos tipos de projetos que você recebe. Assim, a personalidade e a personagem que você exibe em público precisam ser vistas de forma positiva pelo maior número de pessoas.

“Evite abordar temas polêmicos nas suas redes sociais profissionais. Use-as exclusivamente para promover o seu trabalho, suas competências, projetos pessoais, divulgar as ferramentas que você está testando e cultivar um networking positivo. Participe apenas das discussões relacionadas ao seu nicho de atuação que vão trazer benefícios para você enquanto profissional. Encare seus posts como mensagens de marketing que passaram por uma curadoria rigorosa, típica de uma empresa de grande porte. Se você fosse uma empresa grande, o que escreveria em sua newsletter mensal ou semanal?”, sugere Shane.

Além disso, as pessoas provavelmente começaram a seguir você ou entraram em contato contigo porque gostaram do seu trabalho, do seu estilo de design, habilidades ou porque você foi indicado por alguém.

“Poucas pessoas ou empresas querem ler opiniões políticas, reclamações ou assuntos pessoais nas redes, muito menos pessimismo sobre o mercado ou opiniões acaloradas sobre determinadas ferramentas que elas usem internamente em seus processos. Embora metade dos seus seguidores possam curtir comentários polarizados, a outra metade pode ficar incomodada e deixar de seguir as suas redes ou até de cogitar trabalhar com você. Nessa brincadeira, lá se foi um possível cliente ou projeto. Em outras palavras, vale a pena evitar polêmicas para maximizar o potencial do seu negócio”, conclui.

5. Focus no marketing de conteúdo

Alex O’Byrne, cofundador da agência de e-commerce da Shopify We Make Websites, recomenda investir pesado em marketing de conteúdo porque os freelancers não costumam ter muito tempo de sobra, mas esbanjam conhecimento.

“Em primeiro lugar, escolha um nicho para se especializar. Pode ser uma plataforma, uma indústria, região ou um tipo de cliente sobre o qual você será um verdadeiro especialista. Quanto mais específico for o nicho, mais fácil será para você brilhar nele”, aconselha O’Bryne.

Ele ainda sugere montar uma lista com todos os e-mails dos seus contatos profissionais. “Redija artigos que agreguem valor de verdade ao público do seu nicho. Nada agressivo! Cogite gravar vídeos e podcasts, indo além do conteúdo escrito. Depois de montar uma lista de e-mail com todos os seus contatos profissionais, divulgue o seu conteúdo por meio dessa lista, nas redes sociais e no Google (ou seja, publique no seu blog). Pessoas que você não conhece vão descobrir o seu trabalho, vão começar a seguir você e assinar a sua newsletter. É assim que você cultiva um público que gosta e confia no seu trabalho — e que, um dia, vai comprar de você”, afirma.

small business marketing: mailing list
O site do Alex (WeMakeWebsites) convida os leitores a assinar a lista de e-mails para ganhar gratuitamente uma checklist de e-commerce.

6. Divulgue o seu trabalho na internet

“Certifique-se de estar sempre divulgando o que você faz na internet,” aconselha a designer de interface e experiência do usuário Laura Elizabeth, criadora do Client Portal.

“Publique no Twitter ou no Facebook imagens de você trabalhando ou descreva um problema que você conseguiu resolver. Não espere o projeto ser concluído para compartilhar nas redes, afinal, a gente nunca sabe quem está ligado no que estamos fazendo. Eu conquistei muitos clientes novos só porque eles viram os projetos nos quais eu trabalhava no Twitter”, ela comenta.

Laura também sugere elaborar estudos de caso detalhados para cada projeto seu, divulgando-os como artigos para serem publicados em blogs famosos entre os seus clientes.

“Digamos que você está trabalhando no design de um site de e-commerce. Que tal mostrar como você pensou o site de forma a otimizar as conversões? Também é bacana dar dicas práticas para os seus clientes-alvo aprimorarem suas experiências com e-commerce. Quando os leitores dos seus artigos precisarem de ajuda para desenvolver um site, eles vão querer trabalhar com um especialista, ou seja, você!”, conclui.

7. Encontre as pessoas fora do mundo virtual

Tracy Osborn começou a trabalhar com outras empresas pequenas. Assim, ela descobriu uma das melhores maneiras de divulgar o próprio negócio: organizando meetups.

“Sempre que eu viajava, dava um jeito de marcar um café ou uma cerveja com as empresas da região que eu estava visitando. Não eram encontros muito planejados, só uma oportunidade para conhecer outros empreendedores. Anos se passaram e todas essas pessoas que eu conheci cara a cara se tornaram meus clientes de longa data, os principais divulgadores do meu negócio. Essa é uma estratégia difícil de dimensionar, mas ótima para quem está começando e quer estabelecer conexões frutíferas”.

small business marketing: one channel

8. Foco em um canal de marketing

O tempo disponível do freelancer é limitado. Para Dave Ellis, consultor digital, já que o freelancer não consegue competir com negócios que se vendem em diversos canais, é mais fácil eleger e focar suas energias em apenas um canal.

“Escolha uma área que você conhece bem e dedique toda a sua atenção para ela. Se você é bom nas redes sociais, aposte nisso. Sabe mexer com SEO? Então mergulhe nessa estratégia. Se o marketing nunca foi a sua praia, experimente o subestimado boca a boca”, sugere.

Por fim, Dave afirma que você terá muito mais sucesso se adotar uma abordagem direcionada em vez de ficar tentando jogar nas onze.

9. Cuide bem dos seus clientes

Não esqueça de cuidar dos clientes que você já tem enquanto investe em marketing para atrair novos clientes.

“Existe um porquê para que a maioria das pessoas afirme que a indicação é a sua maior fonte de leads qualificados. Recomendar o trabalho de alguém simplesmente funciona. Assim, certifique-se de que você está prestando um excelente serviço aos seus clientes, proporcionando a eles uma experiência inesquecível que eles vão ficar felizes de recomendar o seu trabalho para outras pessoas. E não se esqueça de averiguar se eles conhecem alguém que precisa dos seus serviços. Se você deixar de fazer essa simples pergunta para cada um dos seus clientes, você estará perdendo uma grande fonte de leads para o seu negócio”, afirma Laura Elizabeth.

Dave Ellis acrescenta: “Depois de feita, a recomendação é um sucesso garantido; porém, ela demora para acontecer, pois as pessoas quase não fazem indicações por livre e espontânea vontade. Assim, peça para todo cliente satisfeito escrever uma recomendação sobre o seu trabalho. Nós vivemos em uma época em que as pessoas pesquisam quase todos os produtos ou serviços que pretendem comprar. Vá além e ganhe vantagem competitiva com uma série de avaliações positivas e recomendações”.

“Inclua as recomendações no seu fluxo de trabalho. Um projeto não é concluído na entrega. O melhor marketing que você pode produzir é o seu próprio trabalho, assim, procure maximizar esse potencial em qualquer oportunidade. Faça isso por e-mail, questionário ou por meio de uma pesquisa de satisfação simples, enviada logo após o final de um projeto”.

Dave também aposta em outra estratégia inteligente: apresentar ideias novas e oportunidades para os seus clientes.

“Além das recomendações, essa é uma das melhores táticas que tenho para gerar novas demandas de trabalho. Não espere o cliente te procurar, seja proativo. Você conhece o seu cliente como ninguém, logo, está na posição certa para identificar novas oportunidades de sucesso para ele. Fora que vocês já têm uma relação solidificada, ele confia em você e no seu trabalho”.

Em outras palavras, procure estar sempre pensando em formas de ajudar o seu cliente, mesmo quando você não está trabalhando diretamente para ele.

DICA DE LEITURA: O que é marketing de atração?

10. Alcance empresas que ainda não sabem que precisam de você

Brennan Dunn, fundador da plataforma DoubleYourFreelancing.com, acredita que o principal erro cometido pela maioria dos freelancers (e até por grandes agências) é direcionar suas ações de marketing para empresas que já sabem que precisam de freelancers.

“Se eu entro em contato com um designer pedindo ajuda para reformular a minha loja virtual, estou dizendo nas entrelinhas que eu tenho um problema com as minhas taxas de vendas e conversão. Por que eu tenho um problema desse tipo? Acredito que é por causa do design que minha loja tem no momento. Como resolver esse problema? Buscar e contratar um designer. Há um impasse inerente a esse raciocínio: nem todo proprietário de loja sabe que o design é a pedra no seu sapato, e aqueles que sabem disso talvez não tenham certeza de que uma reformulação do design da loja seja a solução necessária”, explica Brennan.

Brennan afirma que os melhores e mais requisitados freelancers que conhece prospectam para empresas que se encaixam no perfil de cliente ideal que ainda não sabe que tem um problema em mãos para resolver (ou se sabem, não fazem a menor ideia de como começar a resolver).

“Esses freelancers pensam no longo prazo. Eles educam seus clientes, como por exemplo, empresas de e-commerce, ensinando-os a vender melhor na internet. Eles escrevem artigos sobre o tema, participam de podcasts e ensinam as pessoas a serem mais bem-sucedidas. Eles não ficam esperando que a ficha caia para essas pessoas e elas percebam que têm um problema e que ele pode ser resolvido. Em vez disso, esses freelancers orientam seus futuros clientes para que eles entendam seus próprios problemas, injetando neles a confiança necessária para resolvê-los. Em seguida, eles se colocam como a melhor opção disponível para proporcionar uma solução viável para esses clientes”.

Aposte no marketing

O marketing não deve ser uma tarefa que você assume em tempos de vacas magras.

“Quando o cinto aperta, já é tarde demais para que o marketing renda uma demanda de trabalho para você no futuro próximo. Leva tempo para um lead ser convertido em vendas, portanto, seja perseverante nas suas ações de marketing. Reserve algumas horas por semana para garantir essa regularidade”, aconselha Dave Ellis.

Assim, você garantirá um fluxo constante de oportunidades de trabalho batendo à sua porta. No início, você não precisará gastar muito tempo com o marketing, apenas o suficiente para garantir que você realmente se comprometa a fazê-lo acontecer. Esse é o segredo para expandir o seu negócio e conquistar ótimos clientes.

Como você faz o marketing do seu negócio? Conte para a gente nos comentários!


Which method is right for you?Sobre a autora

Gabriela Jungblut é editora-chefe do blog da Shopify em português, gestora de marketing de conteúdo para o mercado brasileiro, tradutora e intérprete de conferências.

Post original em inglês: Oliver Lindberg

Tradução e localização: Carolina Walliter

Você tem dúvidas sobre a Shopify?

Escreva um e-mail para a nossa equipe de atendimento em português!

atendimento@shopify.com

Tópicos: